A História

1984 - 1988

1989 - 1995

1996 - 2000

2001 - 2005

2005 - 2009

2010 - 2016

AS GRANDES INICIATIVAS

Uma vez convidados para o programa e os espaços do CUPAV, a criatividade do P. António Vaz Pinto e da sua equipa, foi-se aventurando a voos sempre maiores. A visão, iniciativas e dedicação do P. António Vaz Pinto durante tantos anos, contribuíram para que o CUPAV se afirmasse como uma referência cristã em Lisboa.

Em 1989 organizou-se pela primeira vez o Forum Estudante, uma grande mostra de cursos, escolas e profissões, onde as diversas instituições que compõem o mundo universitátio e técnico-profissional se fizeram representar. Esta exposição trouxe à FIL cerca de 100.000 visitantes durante quatro dias. A partir desta iniciativa, funcionou no CUPAV um Gabinete de Informação e de Orientação Escolar que produziu até 2006 um anuário de cursos, escolas e profissões.

O advento da televisão privada em Portugal levou à necessidade de produzir programas de televisão no âmbito da transmissão da fé em moldes atuais. Foi assim que entre 1992 e 1996, o CUPAV acolheu a produtora de televisão Futuro. Outra grande iniciativa foi o nascimento do Banco Alimentar Contra a Fome, em 1992, a partir de um conceito existente em França. Todo o trabalho de arranque aconteceu a partir do CUPAV.

A atenção às necessidades dos estudantes estrangeiros - sobretudo dos PALOP - levou à criação do Centro S. Pedro Claver, um projeto dos Leigos para o Desenvolvimento, destinado a oferecer explicações a preço acessível para universitários e pré-universitários. A "Escolinha" conta desde 1994 com duas professoras destacadas pelo Ministério da Educação e várias dezenas de voluntários. Em cada ano o número de explicandos ascende a mais de uma centena.

Neste período, o CUPAV ampliou as suas instalações ao mesmo tempo que se ia plantando o Jardim Bíblico, um espaço verde onde se encontravam representadas várias dezenas de plantas mencionadas da Bíblia. Uma metáfora do mundo novo para o qual o CUPAV teve, desde sempre, o desejo de contribuir.

Uma narrativa destes primeiros anos de vida pode ser encontrada nas memórias do P. António Vaz Pinto, História de Deus Comigo (ed. Aletheia).