APRENDER A

LIDERAR COM...

MINI-CURSO DE LIDERANÇA INSPIRADO PELA EXPERIÊNCIA DOS EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS E DA TRADIÇÃO DA COMPANHIA DE JESUS

Todos os dias agimos e tomamos decisões. É um treino diário que vai criando hábitos e rotinas. Mas paramos para questionar a finalidade do treino? Treinamos para quê? Para alcançar que meta? Em que "ginásio" treinamos ao longo das 16 ou 18 horas dos nossos dias? O que nos leva a dizer ao fim do dia: hoje foi um bom dia, sinto-me realizado? Tratar-se-á a vida apenas de uma boa gestão de tempo?

 

A célebre expressão "Trabalho é trabalho, conhaque é conhaque” será mito ou realidade? A vida como um todo não se apresenta em compartimentos estanques, mas sob um sistema de vasos comunicantes, como uma unidade. Por isso, na vida como na liderança, todos os “treinos” afetarão sempre o todo.

 

Nascemos, crescemos, estudamos e trabalhamos numa cultura onde conceitos como ganhar, aparecer, arrasar, conquistar, dominar, acumular, vencer, realizar, sobreviver dominam o imaginário social e comercial. É certo que o que domina a nossa imaginação determinará os nossos modelos de sucesso e o que tentamos alcançar, forjando conceitos como sorte ou azar, felicidade ou infelicidade.

 

Será então apetecível um imaginário em que perder seja ganhar? Será possível pensar um modo de liderar alicerçado nas relações, na vulnerabilidade e na fragilidade? Enfrentando a farsa da invulnerabilidade, acolhendo e não afastando o limite, a dor, a doença, o sofrimento e a morte, como pensar então o sucesso? Esta lucidez torna-se fundamental, pois o “engano” da invulnerabilidade conduz frequentemente a várias patologias da liderança, que destroem e corrompem a vida pessoal e das organizações.

 

Por isso, é necessária a crítica sistemática do imaginário social e do horizonte da liderança para que possam ser sempre fieis à sua finalidade: o foco na comunidade, nos processos e histórias pessoais e no bem comum. Este será sempre o exigente "treino" da liderança pobre, perdedora e livre que não se busca a si mesma mas a construção de um mundo "com e para" os outros. É esta a visão da tradição centenária da Companhia de Jesus e da dinâmica dos Exercícios Espirituais, que inspiram o modo de proceder abordado neste curso.

curso composto

por 5 sessões (ONLINE, via zoom):

1. 18 de Novembro, 21h00 - 22h30

2. 25 de Novembro, 21h00 - 22h30

3. 2 de Dezembro, 21h00 - 22h30

4. 9 de Dezembro, 21h00 - 22h30

5. 17 de Dezembro, 19h30 - 21h00

Orientadores:

P. João Goulão, sj

Vasco Ressano Garcia

 

Para todos, dos
20 aos 35 anos.